derectora cne

O Partido Popular considerou, na semana passada, o desempenho da Comissão Nacional de Eleições - CNE, durante a campanha eleitoral, como incorreto, no que diz respeitoa alteração da localização e proximidade das assembleias de voto. Em reacção, a CNE afirma que estranha as acusações do referido partido.

Durante uma conferência, realizada na manhã desta terça-feira, a presidente da Comissão Nacional de Eleições, esclareceu que a mudança do local de voto foi feita na reunião plenária de 17 de Agosto do ano corrente, pelo que, segundo Maria do Rosário, não faz sentido o Partido Popular ter afirmado, que foram feitas nas vésperas das eleições autárquicas.

Também afirmou, que não corresponde à verdade que os eleitores ficaram sem saber onde iriam pois a CNE publicitou amplamente as alterações, através de vários meios de comunicação social, Câmaras Municipais entre outros.

O Partido Popular também fez referência sobre a concentração das assembleias de voto a menos de 200 metros de distância, dando como exemplo a Escola Secundária Cesaltina Ramos e Escola Grande, em Achada Santo António. Quanto a isso, a presidente da CNE explicou que não há edifícios públicos a cada 200 metros, sendo assim, não era possível ter assembleias de voto com esta distância.

A impugnação dos resultados das eleições autárquicas em Santa Catarina, na ilha do Fogo, deve ser decidida pelo Tribunal Constitucional. Assim, esclareceu Maria do Rosário.

Com estas e outras acusações feitas, durante a campanha eleitoral, a Comissão Nacional de Eleições apela aos partidos políticos a darem maior importância ao espaço da CNE, onde todas as questões relacionadas com o processo eleitoral são discutidas e decididas.

Texto: Dilma Cardoso

 

Pub

  1. NOTÍCIAS »
  2. Destaques
  3. Recentes

Pub