Paicv

O PAICV reage às conclusões da recente missão do fundo monetário internacional (FMI), chefiada por Ulrich Jacoby, a Cabo Verde, relativamente ao desempenho da economia Cabo-verdiana e as perspectivas futuras.

O FMI tinha reafirmado que a dívida pública herdada pelo governo do MPD é uma divida pública sustentável, porquanto concessional, e que o País tem capacidade para honrar os compromissos assumidos com os credores. Nessa perspectiva o PAICV mostra preocupação com as conclusões da missão do FMI e manifesta disponibilidade para trabalhar em prol da dinâmica económica de Cabo Verde.

Por outro lado, o FMI constatou que a dívida pública já aumentou de 121% para 126% do PIB. Nesse ponto o vice presidente do PAICV recorda: ‘’ é preciso recordar que, aquando das campanhas legislativas e no programa do governo do MPD, o compromisso assumido com os Cabo-verdianos foi de promover a redução da dívida pública...’’

Realçou ainda que o crescimento de 7% do PIB ao ano, gera de certo modo, cerca de 9.000 empregos por ano, e que o governo do MPD vem agora assumir que enganou os Cabo-verdianos. Mas que ‘’fica claro, que esse compromisso não foi mais do que um expediente eleitoral, com fito de ganhar as eleições ‘’.

Tal como o FMI o PAICV recomendou prudência ao governo, suportado pelo MPD e manifesta a sua total disponibilidade para ajudar na procura e materialização de soluções, visto que o processo de desenvolvimento do País requer a mobilização e engajamento de todos.

É de relembrar que o objectivo do FMI foi avaliar o impacto sobre Cabo Verde da actual situação económica mundial, com destaque para as medidas necessárias para sustentar o crescimento do país.

 

Texto: Simónica Sanches

 

Pub

  1. NOTÍCIAS »
  2. Destaques
  3. Recentes

Pub