logotipo tiver futuro

 

 

banner Tiverbanner Tiverbanner Tiverlivetvtiver

exportar rendeu mais que importar

Em 2018 importar produtos ficou mais caro, mas exportar também rendeu mais dinheiro. A conclusão é do Instituto Nacional de Estatística (INE) e foi divulgada ontem.

"Os preços dos produtos importados aumentaram em 5,8%, no ano de 2018", anunciou, o INE. Relativamente a 2017 o INE registou que os preços das importações ficaram 2,1 pontos percentuais (p.p.) mais caros face ao registado no ano anterior. Já a taxa de variação homóloga dos preços dos produtos exportados "fixou-se em 2,6% no ano 2018, valor superior em 2,2 p.p. face ao registado no ano anterior".

Segundo o INE, as variações positivas "mais significativas e que contribuíram para a subida dos preços ocorreram nos seguintes grupos: “Bens de capital” (8,7%), justificada pela subida de preços de “máquinas” (12,4%). “Combustíveis” (21,6%), justifica-se com a descida da única subcategoria denominada “Combustíveis” (21,6%) ".

Nas exportações registou-se igualmente um aumento do valor com o índice de preços a ter, no ano passado, uma evolução positiva de 2,6% face ao ano de 2017. "Os índices subjacentes na exportação verificaram, em 2018, um acréscimo de 4,8% face ao ano anterior. Por outro lado, os índices voláteis na exportação verificaram, em 2018, um decréscimo de 2,5% face ao ano 2017".

 

Fonte: Expresso da Ilhas

 

Pub

  1. NOTÍCIAS »
  2. Destaques
  3. Recentes

Pub