logotipo tiver futuro

 

 

banner Tiverbanner Tiverbanner Tiverlivetvtiver

 

 BRUXELAS

Portugal é um dos 20 países da União Europeia convidados a serem mais transparentes e a colaborarem com o novo mecanismo de monitorização sobre os chamados vistos e passaportes "gold". Num relatório apresentado, quarta-feira, em Bruxelas, o executivo europeu diz que estão em causas riscos nos domínios da segurança, evasão fiscal, corrupção e branqueamento de capitais.

"Não têm sido disponibilizadas informações sobre a implementação prática e os critérios com os quais os Estados-membros abordam as preocupações ao nível da segurança. Além disso, o número total de autorizações de residência concedidas pelos Estados-membros é desconhecido devido à falta de transparência e de supervisão específica destes esquemas", explicou Dimitris Avramopoulos, comissário europeu para a Imigração, Assuntos Internos e Cidadania. "Não estamos aqui para apontar o dedo a ninguém, mas sim para enviar um aviso em alto e bom som", acrescentou o comissário.

Portugal é um dos 17 países que só concedem vistos de residência, que permitem viajar em toda a União Europeia. Já Bulgária, Chipre e Malta dão um passaporte, que inclui todos os direitos da cidadania europeia. O relatório aponta ainda para a necessidade de controlos reforçados para assegurar que as regras anti-branqueamento de capitais não são subvertidas, e de monitorização dos candidatos para que não recorram a estes sistemas para beneficiar de privilégios fiscais.

Forças Democráticas Sírias (FDS), que lançaram em setembro uma ofensiva contra o último bastião do Estado Islâmico (EI) na província de Deir Ezzor, na fronteira com o Iraque, conquistaram hoje a vila de Baghouz.

 

 

 

Texto: Grace Cabral

Fonte: Euronews

 

 

Pub

  1. NOTÍCIAS »
  2. Destaques
  3. Recentes

Pub