DEZENAS DE PESSOAS ENGOLIDAS PELAS CHAMAS NA ARGÉLIA

Em El Tarf, pelo menos 38 pessoas morreram e mais de duas centenas ficaram feridas, na sequência dos incêndios que devastam o norte do país. A situação é catastrófica e não há solução à vista.

Pelo menos 38 pessoas morreram e mais de duas centenas ficaram feridas, a maioria delas em El Tarf, perto de uma das fronteiras da Argélia com a Tunísia, na sequência dos incêndios que devastam o norte do país. Fogos alimentados pela seca extrema e por uma vaga intensa de calor que têm vindo a agravar-se nos últimos anos.

A situação é catastrófica e não há solução à vista, sobretudo depois de – e por questões políticas ligadas à contenda sobre o Saara Ocidental – o país ter anulado um contrato com uma empresa espanhola de compra de sete aeronaves de combate aos incêndios.

“Morreram sete pessoas carbonizadas dentro deste autocarro. A estrada estava fechada e não houve fuga possível. Não havia para onde fugir. O incêndio atingiu toda a região. Entre as vítimas que morreram dentro do autocarro havia crianças. Morreram abraçadas umas às outras”.- Jovem argelino

Só em agosto deste ano 106 fogos destruíram mais de dois mil hectares de área florestal, parte deles originados por mão criminosa. Teme-se que o país reviva a tragédia do ano passado quando se registaram 90 mortes e 100.000 hectares de floresta e terras agrícolas consumidos pelas chamas.

Na Rússia, a região de Ryazan, nos arredores de Moscovo, foi também atingida por incêndios, na quinta-feira. As autoridades locais falam em mais de 800 hectares ardidos, o grupo ambientalista Greenpeace aponta para mais de 3.300. A Agência Florestal Nacional responsabilizava as autoridades locais por negligência.

Fonte: Euronews

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *