FC: DIZ QUE HÁ RETROCESSO NO MUNICIPALISMO CABO-VERDIANO

Francisco Carvalho, presidente da Câmara Municipal da Praia disse que a atitude do Governo, de reabilitar as casas dentro do território municipal, através da Direcção-Geral de Habitação, significa um “enorme retrocesso do municipalismo cabo-verdiano.

O edil praiense, acusa o executivo de Ulisses Correia e Silva de querer substituir as câmaras municipais naquilo que são suas competências.

Para Francisco Carvalho, em matéria de executar trabalhos de reabilitação das moradias, o poder local já deu provas de proficiências.

Segundo Francisco Carvalho as câmaras municipais estão mais próximas das pessoas e lidam de forma directa todos os dias com as populações, frisou, ajuntando que as autarquias locais conhecem muito melhor do que o Governo a realidade das populações.

Respetivamente ao protocolo com o Governo para a Direcção-Geral da Habitação reabilitar casas nos municípios, esclareceu que, no momento da assinatura do documento, “houve um conjunto de câmaras municipais que se recusaram a assinar” por causa da questão de substituição do poder local.

Francisco Carvalho acusa a ANMCV, assim como o Governo, em relação ao posicionamento de um determinado número de câmaras sobre o ponto da discórdia do protocolo, ao enviarem o documento sem a alteração sugerida.

Fonte: Inforpress// Ad: Redação Tiver

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.