MOÇAMBIQUE: DIFÍCIL REGRESSO ÀS AULAS DEPOIS DA TEMPESTADE ANA

Mais de 700 escolas de vários níveis de ensino foram destruídas pela tempestade tropical Ana, em Moçambique. Acima de 350 mil alunos foram afectados nas províncias do centro e do norte do país. A ministra da Educação, Carmelita Namashulua, disse que está tudo a ser feito para que os alunos assistam às aulas.

A ministra da Educação e Desenvolvimento Humano de Moçambique, Carmelita Namashulua, disse esperar que seja cumprido o calendário escolar desenhado para 2022 e que tudo está a ser feito para que os alunos assistam as aulas. O ano lectivo arrancou oficialmente a 31 de Janeiro, mas há ainda alunos sem aulas.

Mais de 700 escolas de vários níveis de ensino foram destruídas pela tempestade tropical Ana, afectando acima de 350 mil alunos nas províncias do centro e do norte do país.

O Fundo das Nações Unidas para População indica que houve 180.869 pessoas afectadas pela tempestade Ana, a mais recente a atingir Moçambique, em Janeiro. De acordo com as Nações Unidas, entre 2016 e 2021, o país enfrentou duas grandes secas e oito depressões atmosféricas, variando a intensidade entre tempestades e ciclones tropicais. Segundo a ferramenta de avaliação de risco de desastres Inform, Moçambique ocupa o nono lugar entre 191 países quanto à vulnerabilidade a perigos, exposição a riscos e falta de capacidade de resposta.

Fonte: RFI

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.