RECONHECE-SE QUE AVES E GADOS SÃO PERIGO PARA OPERAÇÕES AÉREAS 

A população que habita nas zonas aeroportuárias da Cidade da Praia já demonstra algum conhecimento relativamente ao perigo que as aves e os gados representam para as operações aéreas.

Este é um dos resultados da primeira semana do inquérito do Instituto de Prevenção e Investigação de Acidentes Aeronáuticos e Marítimos, que está a decorrer na Cidade da Praia desde 26 de Julho e com a duração de um mês.

Nesta primeira semana, segundo o Instituto de Prevenção e Investigação de Acidentes Aeronáuticos e Marítimos foram inqueridas as populações dos bairros de São Tomé, Portete Baixo, Agostinho Alves, Jamaica e Água Funda, com aplicação de mais de 50 questionários a criadores de aves e de animais.

Por outro lado, avança a mesma fonte, que as pessoas desconhecem o código de postura municipal apesar dos trabalhos divulgados através da televisão e dos demais órgãos de comunicação social.

O inquérito é realizado em parceria com o programa “bird-safe”, criado para prevenir o risco da presença frequente de vida animal no entorno aeroportuário, evitando a ocorrência de colisões das aeronaves com pássaros (birdstrike).

O programa configura-se como uma das acções que deverá contribuir para a consciencialização da população e das instituições, a respeito da prevenção de incidentes e, por conseguinte, possibilitar a consolidação da segurança operacional.

Segundo dados da ASA (Aeroportos e Segurança Aérea), foram registadas, nos últimos anos (2016 a 2021), 76 colisões envolvendo aviões e pássaros no Aeroporto Internacional da Praia.

Por isso, através desta iniciativa se pretende desenvolver e implementar uma série de actividades, para a consciencialização da população e das instituições, a respeito da prevenção de incidentes, promover a mudança de comportamentos e, por conseguinte, possibilitar a consolidação da segurança operacional.

O Instituto de Prevenção e Investigação de Acidentes Aeronáuticos e Marítimos, através desta acção conjunta, almeja alcançar resultados mais eficazes e de maior alcance, na mitigação do risco que a presença frequente de vida animal no entorno aeroportuário em prol de uma cultura de segurança no sector da aviação civil.

Fonte: Inforpress // Ad: Redação Tiver

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.