RÚSSIA RETOMA BOMBARDEAMENTOS À FÁBRICA DA AZOVSTAL

Depois de uma retirada parcial dos civis que estavam retidos na fábrica da Azovstal, as forças russas voltaram a bombardear as instalações da siderúrgica na cidade de Mariupol, no sul da Ucrânia, segundo as forças armadas ucranianas, que continuam barricadas no complexo.

A retirada dos cerca de aconteceu depois das visitas a Kiev e Moscovo do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

Tanto o ministério russo da defesa como a unidade militar Azov, da Ucrânia, publicaram imagens da retirada dos civis, que segundo a Ucrânia foram levados de autocarro para zonas, quer controladas pela Rússia, quer controladas por Kiev.

Há relatos de fome, sobretudo por parte das crianças, durante o cerco à fábrica. No vídeo divulgado pelos russos, rodado num centro de triagem numa zona controlada por Moscovo, uma mulher acusa o batalhão Azov de estar a fazer buscas nos apartamentos e mostrar uma atitude agressiva para com os civis “que acusam de ser, maioritariamente, pró-russos e de ter bandeiras russas em casa”. Ela diz que, pessoalmente, “não tem qualquer bandeira, nem russa, nem ucraniana”.

Fonte: Euronews

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *