AJOC ENALTECE TRABALHO DOS JORNALISTAS

A Associação Sindical dos Jornalistas de Cabo Verde – enalteceu no, Dia Nacional do Jornalista, o trabalho desenvolvimentio pela classe no arquipelago. Geremias Furtado destacou ainda o desenpenho realizado ao longo dos anos em prol do acesso à informação, Liberdade de Imprensa e reforço da Democracia no País”.

Em nota de imprensa, a AJOC lembra,contudo, que muitos desafios persistem.

“Nos tempos que correm, tempo novos, onde a missão do jornalista é cada vez mais difícil e desafiante, não só para evitar fenómenos recorrentes que competem com a nobre missão de informar, como as Redes Sociais, mas também para enfrentar fenómenos como as chamadas Fake News, imputadas muitas vezes, injustamente, aos jornalistas, só o rigor e a imparcialidade exigida no código deontológico do jornalista podem contrariar, numa busca incessante da verdade, em prol do Serviço Público. Esta é, e continuará a ser, a grande missão da classe”, afirma a associação.

A AJOC lembra ainda que o desafio da “falta de recursos”, num país arquipelágico, onde, como diz, “é preciso todos os dias reinventar-se para fazer o jornalismo acontecer”. Nesse sentido, aproveitam o momento para “apelar aos poderes públicos e privados, e às forças vivas da sociedade, para que todos contribuam para que possamos continuar a fazer o jornalismo acontecer”.

Pois, defende, que “é no cidadão cabo-verdiano, na sua ousadia, luta pela liberdade incessante, e na forma como encara o desafio do desenvolvimento e da Democracia, diariamente, que está a verdadeira fonte que alimenta o jornalismo cabo-verdiano”.

Com isso, a AJOC, afirma querer apelar ao “comprometimento” dos jornalistas na preservação dos valores que regem a profissão. “Porque ser jornalista não quer dizer que se pode tudo, é preciso responsabilidade e conhecimento das leis da República, na certeza de que só assim estaremos a servir o País e as pessoas, em prol, reiteramos, do Serviço Público que prestamos”.

O contexto, em termos de Liberdade de Imprensa, “não é o melhor”, admite a associação, sabemos, pois, como lembra, Cabo Verde tem vindo a descer no Ranking dos Repórteres Sem Fronteiras. “Por isso, cumpre a cada um de nós, continuarmos a trabalhar e a dar o nosso melhor para contrariar esse cenário”, finalizam.

Fonte: A Nação // Ad: Redação Tiver

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *