FUNDAÇÃO DONANA: 12 ANOS A LEVAR ALIMENTOS ÀS FAMÍLIAS

Ana Hopffer Almada emociona-se ao falar da Fundação Donana, que o marido criou há 12 anos para responder aos muitos pedidos de ajuda, beneficiando atualmente 40 associações comunitárias e milhares de famílias cabo-verdianas com cestas básicas só na cidade da Praia.

Ao recordar todo este percurso, a presidente não consegue conter a emoção. “Fico emocionada porque faço isso com o coração, é com amor, é um trabalho feito sobretudo com muito amor”.

Com dois pilares de atuação na sociedade, a cidadania, em que um dos projetos é um curso de Educação para a Cidadania, e solidariedade social, a Fundação Donana foi instituída numa altura em que havia muita violência urbana na cidade da Praia, recordou.

No pilar solidariedade, outro projeto que foi criado dois anos depois, em outubro de 2012, foi o Banco Alimentar Contra a Fome de Cabo Verde, em parceria com a Entreajuda de Portugal, organização que tutela o Banco Alimentar Contra a Fome de Portugal.

O Banco Alimentar Contra a Fome de Cabo Verde funciona sob a direta dependência da Fundação Donana, que mensalmente beneficia cerca de 40 associações comunitárias com cestas básicas só na cidade da Praia, que fazem chegar essas ajudas a mais de 1.500 pessoas, sobretudo idosos, acamados e pessoas com deficiências e que não podem trabalhar.

Cada cesta básica contém uma média de 10 quilos de alimentos, como arroz, açúcar, feijões, leite, massas, totalizando cerca de 3.000 quilos de alimentos distribuídos todos os meses, só na Praia, sendo que até 2020 a organização tinha recolhido e distribuído 1.328.134 quilos de bens alimentares no país.

Além das associações comunitárias, as pessoas vão individualmente à fundação pedir ajuda.

Todo o trabalho é feito com alguns voluntários da Fundação, mas nas campanhas de recolha de alimentos nas lojas e supermercados da Praia – na última, em outubro, foram recolhidos cerca de 3.000 quilos – conta com a colaboração dos membros das associações, havendo um total de 160 sempre disponíveis a ajudar.

Fonte: Lusa // Ad: Redação Tiver

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *