GUINÉ CONACRI E GÂMBIA VENCEM O I CAMPEONATO AFRICANO DE FUTEBOL ESCOLAR

As equipa masculina da Guiné Conacri e feminina da Gâmbia sagraram-se esta quarta-feira, vencedoras do I Campeonato Africano de Futebol Escolar realizado no Estádio 25 de Julho em Santa Cruz pela CAF, numa parceria com a FCF.

A formação masculina da Guiné Conacri conquistou o título ao bater a Gâmbia no desempate pela marca de grande penalidade, prova na qual Cabo Verde representado pela Escola José Augusto Pinto, de São Vicente, classificou-se no terceiro lugar, por força da vitória, também no desempate por penaltis, sobre a Mauritânia.

Para além do terceiro lugar, Cabo Verde conquistou o prémio de Melhor Guarda-redes do torneio, atribuído a Mauro Delgado.

Já o jovem atleta Amara Keita da Guiné Conacri foi consagrado como melhor jogador do torneio, ao passo que Alagie Jarju foi o melhor marcador da prova masculina.

Já a nível feminino, o combinado da Gâmbia foi coroado com o título de vencedor desta I edição do Campeonato Africano de Futebol Escolar com nove pontos, relegando a Guiné Bissau para o segundo posto com sete pontos e Guiné Conacri para a terceira posição com quatro.

Nesta prova, Senegal e Cabo Verde não pontuaram, mas a equipa crioula foi recompensada com a Taça Fair-Play.

Kaddy Camara da Gâmbia foi eleita a melhor jogadora, Domingas Baptista e Graciete da Silva, ambas da Guiné Bissau, conquistaram os troféus de melhor goleadora e melhor guarda-redes, respectivamente.

Com a duração de três dias, participaram neste evento equipas escolares, masculinas e femininas, com oito jogadores em campo, com idades compreendidas entre 12 a 15 anos.

Os jogos tiveram a duração de 40 minutos (duas partes de 20 minutos cada) com as dimensões de 70 metros x 42 metros e balizas de dois x cinco metros.

O Campeonato Africano de Escolas de Futebol da zona WAFU A, enquadrado no Programa Escolar Africano de Futebol da CAF, é um projecto de desenvolvimento que se concentra no futebol escolar, mas que também apoia programas que aumentam o impacto social do futebol e também capacitam os países participantes a administrar o futebol por meio de programas de treinamento.

Fonte: Inforpress // Ad: Redação Tiver

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *