INTEGRAÇÃO SÓCIO-ECONÓMICA DE MULHERES

31 mulheres, chefes de famílias, das localidades periféricas da Praia, estão hoje mais empoderadas Graças ao financiamento de um fundo de 10 mil escudos proveniente da Fundação Donana. Estas senhoras trabalhavam na área informal, outras perderam os seus empregos, e com o engajamento da cooperação portuguesa atualmente disfrutam de melhor qualidade de vida derivado da Intervenção da referida fundação.

Essa iniciativa surgiu com o objetivo de criar condições as mulheres que perderam a capacidade de exercer atividades geradoras de rendimento para desenvolveram atividades geradoras de rendimento no comércio informal, e que perderam a capacidade por capacidade por causa da pandemia e ficaram dependentes da ajuda alimentar do Banco alimentar contra a fome, que em princípio não apoia pessoas que podem trabalhar.

Conforme avançou Ana Almada, o projeto da integração sócio-económica de mulheres em situação de vulnerabilidade, contou com o financiamento da Embaixada de Portugal, que nas palavras embaixador de Portugal em Cabo Verde mostrou-se muito satisfeito com a contribuição nesse projeto, garantindo que Portugal vai continuar a apoiar através de várias entidades que estão aqui em Cabo Verde.

Numa época pandémica e de crises económicas por conta da guerra na Ucrânia, António Moniz, reiterou a importância da sua participação neste projeto.

Uma das financiadas, pelo apoio do projeto Donana, mostrou-se satisfeita com este projeto, visto que conseguiu desenvolver seu próprio negócio.

Com um total 674 mil e 100 escudos financiados, o balaço positivo que se faz deste projeto é positivo, tanto por parte das financiadas e também pelos responsáveis da sua concretização, Ana Almada, pretende dar continuidade para beneficiar ainda mais outras pessoas que não puderam fazer parte deste projeto.

Redação Tiver

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *