“NADA MELHOR DO QUE SENTIR O AMOR E PAIXÃO DO MEU POVO” – MARCO SOARES

O futebolista Marco Soares considerou, na homenagem que foi outorgada pelo Governo, com o segundo Grau da Medalha de Mérito Desportivo, que “não há nada melhor do que sentir o amor e paixão” do povo.

O capitão da selecção de Cabo Verde de futebol, que decidiu colocar o fim na sua carreira ao serviço da selecção, aos 38 anos, depois de 16 anos a vestir as cores dos Tubarões Azuis, apresentou-se rodeado de familiares, entre eles a mãe, a mulher e filhas, para além de amigos, tendo agradecido a Deus “por se sentir abençoado nesse momento”.

O capitão, que nasceu em Portugal e que só conheceu Cabo Verde aos 20 anos, explicou o porquê de ter optado pela selecção destas ilhas aos 20 anos, “contra todos os empresários e amigos”, quando já integrava a selecções portuguesas de formação, alegando que viveu sempre à cultura cabo-verdiana, “cachupa, funaná e crioulo”, como disse, desde a tenra idade em terras lusas.

Num discurso considerado “emotivo”, Marcos Soares que esteve em lágrimas, disse que foram 16 anos de “muita luta e conquistas”, sublinhando que quer passar este exemplo aos jovens que muitas vezes colocam a seleção cabo-verdiana em segundo plano, na expectativa natural de espreitar a oportunidade numa selecção europeia.

“Amor e paixão” foram as palavras que Marcos Soares mencionou para demonstrar o seu orgulho por Cabo Verde, neste momento em que o Governo da República reconheceu os seus feitos ao outorgar-lhe o segundo Grau da Medalha de Mérito Desportivo, em sinal de “dedicação, entrega e serviços prestados a favor do desporto nacional, que honram e orgulham a nação cabo-verdiana”.

Internacional cabo-verdiano que se define como “um grande líder”, Marco Soares conta um vasto currículo desportivo, no qual se destacam 441 jogos e 27 golos ao serviço dos clubes que representou até ao momento, e ainda, de forma especial, os 53 jogos e três golos ao serviço da Seleção Nacional de Cabo Verde, insígnia que representou em três fases finais da Taça Africana das Nações.

Fonte: Inforpress // Ad: Redação Tiver

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *