PROCURAM-SE SOBREVIVENTES EM HAVANA

As equipas de resgate continuam a retirar corpos dos escombros do Hotel Saratoga. Segundo os últimos dados das autoridades cubanas, 19 pessoas continuam desaparecidas. Na maioria, são trabalhadores deste hotel que é um dos mais luxuosos de Havana. A explosão desta sexta-feira provocou mais de 30 mortos e mais de 80 feridos.

A fachada do Saratoga ruiu, enterrando trabalhadores no interior e, aparentemente, transeuntes no exterior sob betão e metal. A explosão ocorreu no final da manhã, quando as ruas e a praça em frente ao hotel estatal estavam cheias de peões.

As autoridades disseram que a causa da explosão ainda está sob investigação, mas acreditam que tenha sido causada por uma fuga de gás.

O presidente cubano já visitou o local. Miguel Díaz-Canel explicou que “ainda há indícios de que pode haver pessoas presas e que podem estar vivas, mas é difícil avançar por causa do nível de perigo que existe”.

Na homilia deste domingo, o Papa Francisco pediu orações pelas vítimas.

A explosão no Hotel Saratoga é um novo golpe para a crucial indústria do turismo do país. Mesmo antes da pandemia manter os turistas afastados, Cuba lutava com sanções mais rigorosas impostas pelo antigo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. O turismo tinha começado a reanimar, mas a guerra na Ucrânia deflacionou um aumento de visitantes russos, que representam quase um terço dos turistas que chegaram ao país no ano passado.

Fonte: Euronews

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.