FOGO: MINISTRO PROPÕE REALIZAÇÃO DE JORNADA TÉCNICA PARA DISCUTIR ASPECTOS LIGADOS AO TURISMO

O ministro do Turismo e Transportes, Carlos Santos, propôs ao presidente da câmara de Mosteiros a criação de uma jornada técnica com o objectivo de discutir como melhorar tudo que esteja interligado com o turismo.

O responsável pela pasta do Turismo e Transportes, que presidia à cerimónia de inauguração das obras de requalificação da orla marítima de Beco, na cidade de Igreja, financiadas pelo Fundo do Turismo, considerou que “só com uma boa articulação e só com um pacto entre o poder local e o poder central se pode ter as ilhas cada vez mais preparadas para o turismo”.

Assim, di-lo Santos, é necessário a qualificação e requalificação dos espaços urbanos com menos lixo, com melhor saneamento básico, eletrificação e com restaurantes e unidades de alojamento a prestarem um serviço de qualidade e com recursos humanos qualificados, referiu, indicando que tudo está previsto no Programa Operacional do Turismo.

Carlos Santos, além de defender a criação de jornada técnica para debruçar sobre o turismo, exortou os emigrantes a investir no sector, sublinhando que é o momento de investir no turismo porque é um sector que tem um retorno certo”.

Para a ilha do Fogo, o ministro do Turismo e Transportes disse que o Governo pretende trazer “muito brevemente” um projecto de mapeamento dos caminhos vicinais e a qualificação de tudo que seja trilhas pedestre a nível da ilha, assim como fazer o restauro dos caminhos vicinais para permitir que haja um maior ponto de atração para os turistas que queiram visitar a ilha, isto sem contar com a implementar do projecto de valorização e qualificação das aldeias turísticas rurais.

Carlos Santos salientou que o POT está orçado em 200 milhões de euros, dos quais o Governo já mobilizou cerca de 80 milhões de euros, destacando que é um programa que vai trazer maior diversificação, qualificação de oferta turística, mas que aposta na promoção e publicitação do destino Cabo Verde, assim como trazer outros nichos de mercado para permitir que as ilhas como o Fogo possam receber mais turistas.

O POT aposta também na sustentabilidade, governança e fundamentalmente na requalificação da juventude.

No dizer do mesmo, o Governo quer continuar a financiar infraestruturas do genro para melhorar a qualidade das cidades, observando que melhorando a qualidade das cidades está-se a melhorar as condições de vida das pessoas e a tornar as cidades mais aprazível para acolher um turismo cada vez maior.

Carlos Santos lembrou que o Fundo do Turismo foi criado para financiar este tipo de obras no sentido de diversificar o turismo em Cabo Verde e ter um turismo mais resiliente e descentralizado para todo o país.

Fonte: Inforpress // Ad: Redação Tiver

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.