GUINÉ-BISSAU: POLÍCIA LEVANTA CERCO À SEDE DO PAIGC

A polícia guineense levantou esta segunda-feira, 28 de Março, o cerco à sede do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde.

A polícia guineense ordenou aos agentes que mantinham o cerco na sede do PAIGC há mais de uma semana para que deixassem as imediações do edifício. Desde o passado dia 19 de Março, não era possível entrar na sede do PAIGC.

A vice-presidente do PAIGC, Odete Semedo confirmou que o partido deu orientações aos militantes para que desmontassem os equipamentos que se encontravam no salão onde deveria decorrer o 10° congresso.

A dirigente lembrou que congresso não vai decorrer por agora, admitindo não saber quando, “mas um dia vamos realizar o nosso congresso e preparar o PAIGC para as próximas eleições”.

“Vai haver congresso, com certeza. Quando eu não sei, mas vai ter lugar. Porque o partido é um partido legal que tem todos os seus papéis em ordem e não há nenhuma providência cautelar que acautela interesse de uma pessoa contrariando o interesse de milhares de pessoas”, descreve a deputada do PAIGC.

“Só os congressistas eram 1400 contra Bolom Comté, que é apenas uma pessoa. É um militante perdido por aí, que diz ser militante. Eu julgo que ele não é militante, não tem base porque não participou em nenhuma assembleia de base e ele arroga-se ao direito de juntar-se. Aliás, ele não é ele. Ele é apenas um vector e foi utilizado para fazer isto”, aponta Odete Semedo, lembrando que o PAIGC “já tinha montado tudo”, mas que mais à frente o caso irá ser levado a justiça “nós vamos tomar conta disto. Não podem tomar conta de toda a Guiné-Bissau para nos impedir de fazer aquilo que legalmente a Constituição da República nos dá como prerrogativa”, concluiu.

Fonte: Rfi

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.